Injeção de termoplástico – Como iniciar nesse ramo?

Atendendo ao pedido de um de nossos leitores, hoje quero mostrar de um modo geral quais são os passos para iniciar no ramo de injeção de peças termoplásticas, em especial as peças do segmento automotivo, vou falar a respeito do que esse ramo exige para produzir peças com qualidade que satisfaça o mercado de auto peças e também os consumidores finais, bem como vou mostrar o caminho para chegar à qualidade necessária.

Quando o assunto é injeção de peças para o mercado automobilístico, ou seja, na maioria das vezes para montadoras como GM, VW, FORD entre outras, o quesito qualidade deve ser muito bem definido, para isso é necessário que adotemos alguns meios para controlar a qualidade, aqui vou tratar dos principais meios.

Para quem quer iniciar no ramo, primeiro é necessário muito planejamento e, se não possuir experiência nesse tipo trabalho, recomendo que contrate ou se associe com alguém que possua experiência no assunto.

O espaço físico

Você até pode pensar o contrário, mas o local de instalação de sua empresa deve ser muito bem planejado, o layout das máquinas e equipamentos deve ser projetado para facilitar a locomoção de peças e ferramentas dentro da área de produção, por consequência você automaticamente ganhará no tempo de produção e na estética interna da empresa. O ambiente deve ser organizado, limpo e bem iluminado, também deve atender a todas as normas de segurança para evitar possíveis acidentes e ainda deve seguir algumas outras normas técnicas para garantir a qualidade do produto produzido.

Os moldes de injeção

Se ainda não se informou a respeito do custo de um molde de injeção para produzir, por exemplo, uma simples tampa de um reservatório de água automobilístico, o custo desse molde para injetar duas peças a cada ciclo de injeção deve girar em torno de R$80.000,00 a R$120.000,00, mas não necessariamente é preciso comprar esses moldes, em muitos casos as montadoras compram os moldes e os fornece para quem irá injetar as peças, em outros casos existem várias empresas que já possuem os moldes e apenas precisam de uma empresa de injeção para injetar o seu produto. Será necessário comprar o molde apenas se você quiser produzir o seu próprio produto.

As máquinas injetoras

Outro ponto a avaliar é a aquisição de máquinas injetoras, para entender o que é uma máquina injetora e como ela funciona leia o artigo que já publiquei neste blog.

– O que é uma máquina injetora?

As máquinas injetoras também possuem um custo elevado, mas afinal de contas são elas que lhe gerarão lucro, então o valor investido na compra de uma máquina com certeza retornará dentro de um espaço de tempo. Para adquirir a máquina injetora correta é preciso saber o que você vai injetar, ou seja, o tamanho e o peso do produto, esses fatores determinarão o tipo de máquina a ser comprada.

Os profissionais

Na sua empresa você terá que ter alguns profissionais a começar por um técnico em plástico, é ele que vai definir todo o processo de injeção fazendo ajustes para conseguir injetar peças de qualidade, também vai precisar de uma pessoa para cuidar da garantia da qualidade, essa pessoa irá controlar as peças injetada por meio de um rigoroso controle dimensional e mais algum outro processo de controle que o produto exija, um ferramenteiro também é essencial, todos os moldes que você usar para produzir irão necessitar de manutenção, é o ferramenteiro que fará essa parte, por fim a parte que cabe ao dono da empresa, além de administrá-la, é cuidar de conseguir novos clientes para manter sua empresa.

O processo de fabricação e o controle da qualidade

Não basta apenas injetar peças e enviá-las para o seu cliente, existem alguns documentos que precisam ser criados antes e após o processo de injeção com a finalidade de garantir a qualidade do produto injetado, alguns desses documentos são:

FMEA (failure mode and effect analysis) ou análise do tipo e efeito de falha: é um método utilizado para verificar possíveis falhas que possam vir a ocorrer tanto no produto quanto no processo de fabricação, o FMEA existe para minimizar ao máximo a possibilidade do erro chegar ao cliente final. Existem vários tipos de FMEA, um para cada etapa do processo de desenvolvimento de um produto.

PPAP (processo de aprovação da peça de produção): o seu cliente sempre irá fornecer especificações que deverão ser seguidas, o PPAP serve para qualificar e certificar que o fornecedor irá oferecer peças dentro dos padrões técnicos especificados, o processo de PPAP envolve o controle dimensional dentre alguns outros fatores.

Todos esses tópicos que citei acima são básicos e importantíssimos para que o produto injetado tenha qualidade e possa ser fornecido com confiabilidade, seguir este caminho é um ótimo início para começar no ramo de injeção de peças automotivas. É claro que ainda existem muitos outros pontos a serem tratados e avaliados, porém o que quero com esse artigo é dar uma visão geral dos pontos técnicos mais importantes para iniciar uma empresa séria no mercado.

Se depois de lerem esse artigo ainda houver dúvidas, por favor postem nos comentários para que possamos escrever outros artigos para esclarecer todas as dúvidas.

Sobre o autor:

Tecnólogo em Fabricação Mecânica que atua no ramo de projetos mecânicos há mais de 16 anos e no setor metal mecânico há 21 anos. Coordena o escritório Infocadu Projetos CAD CAM CAE e ministra treinamentos por meio do website Cursos Infocadu dessa mesma área de atuação. No passado coordenou equipes em ferramentarias e em indústrias do ramo metal mecânico desde o desenvolvimento do produto, projeto do ferramental até sua fabricação. Teve o início de sua formação profissional no "chão de fábrica" operando e programando máquinas CNC, eletro erosão, máquinas convencionais e realizando trabalhos manuais de montagem e ajustes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *